Por: Redação

19 de maio de 2022 Marketing Digital Nenhum Comentário
Tempo de Leitura: 6 minutos

O que é neuromarketing e como utilizá-lo ao seu favor

Sem dúvidas, a internet facilitou a abertura do comércio eletrônico e dos negócios online. Logo, o aumento da concorrência torna necessário encontrar maneiras de se destacar. Buscar saber o que é neuromarketing e sua importância pode ser um ótimo caminho a percorrer para conquistar seu espaço no mercado.

Até recentemente, o uso do marketing digital era uma prerrogativa reservada às grandes corporações ou empresas com capital significativo para desenvolver estratégias que criassem relevante diferenciação competitiva.

No entanto, nesta nova era digital, recorrer a este tipo de estratégia já não é uma opção, mas sim uma necessidade para a sobrevivência e sucesso de negócios de todas as dimensões ou segmentos de mercado.

Isso ocorre porque uma boa gestão de marketing e vendas é essencial para permitir:

  • Compreender as necessidades do público;
  • Construir relações mais próximas com os compradores;
  • Fidelidade garantida;
  • Feedback de incentivo;
  • Mercado educacional, etc.

Portanto, não é bom apenas para a reputação da marca, mas também para a lucratividade e competitividade de mercado da instituição.

Assim, encontrar novas formas de inovar essas estratégias pode ser uma das melhores formas de capitalizar as vendas.

Neste artigo, vamos falar um pouco mais sobre o neuromarketing e como ele pode ser essencial para a sua empresa. Continue lendo!

O que é neuromarketing?

Na faculdade de gestão de vendas, o neuromarketing é uma das especializações mais atrativas para empreendedores que buscam melhorar o desempenho de vendas e melhorar a rentabilidade do negócio.

Isso porque essa ferramenta, muito utilizada na comunicação, é uma importante aliada na identificação das necessidades de massa dos consumidores, mantendo sua marca sempre em mente.

Como ciência, o neuromarketing visa se basear em pesquisas relacionadas à neurologia e à psicologia como forma de obter insights sobre as alavancas psicológicas que ajudam a incentivar o consumo e o próprio comportamento de compra.

Dessa forma, as empresas conseguem entender com mais precisão produzindo maior satisfação do consumidor, alterando produtos, serviços e cuidados para que se tornem mais agradáveis ​​e úteis para todos.

Por isso, o curso gestão de marketing e vendas proporciona uma compreensão mais profunda das melhores formas de aplicar esse conhecimento ao seu negócio para obter os resultados mais satisfatórios.

Como essas estratégias geram bons resultados para as empresas

Os mecanismos de neuromarketing utilizam essencialmente o conhecimento dos instintos mais básicos das pessoas como forma de identificar suas verdadeiras necessidades e quais estímulos produzirão melhores resultados em cada tipo de público.

Assim, por meio da gestão estratégica de marketing e vendas, os empreendedores podem se familiarizar com a hipótese do marcador somático, que explica como a conexão entre sentimentos e emoções interfere diretamente na tomada de decisão.

Por exemplo, a maneira como nossos cérebros e sistema nervoso central (SNC) respondem a estímulos visuais ou outras alavancas sensoriais, e como esses indivíduos tendem a agir quando confrontados com esses impulsos.

No varejo, o aval desses critérios por profissionais qualificados — que devem ser bem escolhidos pela equipe de gestão de marketing e branding —, é utilizado como forma de conscientizar os consumidores sobre um problema específico que precisa ser tratado.

Esse problema — seja exposto por meio de publicidade ou naturalmente nutrido pelos compradores —, deve poder ser resolvido com o serviço ou produto oferecido pela marca. Assim, o neuromarketing torna o processo de decisão de compra mais preciso.

Além disso, essas estratégias podem adequar os serviços às necessidades específicas de cada perfil, podem realizar operações mais eficientes e podem ajustar as ofertas para comunicar as necessidades do mercado.

As melhores maneiras de usar o neuromarketing

O processo de conquista e persuasão de uma compra é naturalmente uma tarefa desafiadora para qualquer empresa. E fazê-lo de maneira sutil e sem o choque de afastar potenciais compradores pode ser mais complicado.

No entanto, as técnicas de pesquisa de neuromarketing são muito aplicáveis ​​a qualquer tipo de relacionamento com o consumidor, seja comércio de produtos ou serviços.

Isso se deve à sua capacidade de capturar os indicadores neurológicos, psicológicos e físicos eliciados por cada ação que uma marca cria entre seus consumidores.

Desta forma, a aceitação pública de todos os aspectos do negócio (desde a reputação da marca, embalagem, mercadoria, etc.) pode ser determinada com mais precisão, otimizando assim todos os esforços em campanhas publicitárias.

Portanto, se você deseja encontrar a melhor maneira de usar o neuromarketing para capitalizar suas vendas e expandir seus negócios, aqui estão algumas dicas:

  1. Escolha sua fonte

Quando falamos de marketing digital, ações voltadas à criação de conteúdo para um blog ou site de agência são essenciais para conseguir uma boa imagem e captar a atenção do seu público-alvo.

Em cursos de gestão comercial e marketing ead, os empreendedores podem aprender mais sobre a importância de escolher a tipografia certa para a construção de espaços virtuais, logotipos de produtos e comunicação direta com os clientes.

Isso porque, no neuromarketing, até os menores detalhes são essenciais para influenciar a forma como os clientes se relacionam com sua marca e seus produtos.

Portanto, esses detalhes podem ser decisivos no processo de compra e na decisão final de investir ou não em um produto.

Nesse caso, usar uma fonte simples pode ajudar a inspirar ações, facilitar a leitura da mensagem e persuadir os clientes. Ao mesmo tempo, usar uma fonte completa é uma ótima maneira de destacar informações importantes.

Mas, além disso, há muitas outras coisas que você pode fazer para melhorar a percepção de seus clientes sobre o seu negócio.

  1. Utilize cores estratégicas

As cores são estímulos neurais importantes que afetam o cérebro de maneira diferente, dependendo de como elas mudam.

Portanto, como esses elementos iniciam múltiplos processos comportamentais, o uso da cor é um importante aliado em uma estratégia de marketing.

Conhecido como o “núcleo” no mercado publicitário, as cores escolhidas para suas páginas, logotipos de empresas, embalagens e até mesmo o próprio produto determinam a precisão da mensagem que está sendo entregue.

Por isso, é muito importante saber aplicá-los de forma organizada e harmoniosa para construir uma identidade visual impactante e satisfatória.

Por exemplo, a aplicação do vermelho é uma ótima maneira de inspirar ação e urgência, enquanto o amarelo é ótimo para vendas porque exala otimismo e juventude.

  1. Elabore um bom design no site

Outro aspecto que afeta a construção da identidade visual de uma marca é a estrutura ou layout do site que uma empresa utiliza. As decisões tomadas ao construir esta página determinarão diretamente a decisão do cliente no momento da compra.

Por isso, a otimização estética em blogs de negócios ou sites de empresas, bem como em redes sociais e e-mail marketing é muito importante para cursos de gestão comercial ead, pois estimulam novas vendas e atraem novos consumidores.

Esse refinamento da página envolve mapas de calor — padrões de análise visual que os consumidores realizam quando abrem a página, onde o olhar chama a atenção, estruturando o conteúdo e navegando nesses materiais.

  1. Esteja preparado para o que você publica

Não adianta investir em fontes mais precisas, aplicar cores que funcionem melhor para o seu negócio ou construir um ótimo layout se o conteúdo postado nesses sites for inferior ou útil ao mercado e aos consumidores.

Essa é uma das principais formas de garantir o engajamento, atrair pessoas que se encaixam nas personas da empresa, melhorar a comunicação com o público e aumentar a credibilidade da marca.

Além disso, é preciso saber canalizar os materiais produzidos digitalmente para cada etapa do funil de vendas. Para garantir que os clientes em potencial sejam mais propensos a passar para o próximo estágio, tornando-os mais propensos a concluir uma compra.

  1. Capte o seu público

Agora, conquistar seu público-alvo não é mais apenas apresentar produtos de qualidade, com alta qualidade e eficiência.

Cada vez mais pessoas procuram estabelecer conexões de negócios com empresas em que confiam e compartilham valores semelhantes com elas.

Por isso, é necessário construir relacionamentos próximos com os clientes que vão além dos interesses de vendas e influenciem o subconsciente dessas pessoas com boas lembranças, apelos emocionais e experiências positivas.

Esses sorteios tiveram um impacto tão profundo na aquisição de novas vendas e no aumento dos tickets institucionais médios que até uma faculdade de vendas online abordam esse tema e ensinam a como implementar com sucesso essa estratégia.

  1. Monitore constantemente seus clientes

Os avanços tecnológicos e as plataformas digitais facilitaram a obtenção de dados e métricas que descrevem com mais precisão o verdadeiro comportamento dos consumidores.

No entanto, para acompanhar as necessidades e anseios dessas pessoas, é fundamental garantir que as informações obtidas estejam sempre atualizadas e completas.

Dessa forma, será possível combinar esses dados com estratégias de neuromarketing e encontrar melhores formas de atrair novos clientes e obter resultados mais satisfatórios.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado 

para a veiculação de conteúdos relevantes para empresas, contribuindo com estratégias para o desenvolvimento do negócio.